A DUENDE ALEGRIA
TEM MUITO PARA TE ENSINAR

Sabias que… sabias que…. sabias que…. 

São vários as coisas que se dizem por ai, mas aqui vou te contar grandes curiosidades sobre o nosso livro.

ACREDITAS NO MUNDO DOS DUENDES?

Como eu disse, este portal mágico é para ti! 

Escreve o teu nome e recebe uma recordação nossa.

O QUE É REAL NESTE CONTO

Alexandre Parafita, investigador de literatura oral tradicional na Universidade de Trás-os-Montes, há anos que se dedica ao estudo de figuras fantásticas um pouco por todo o país. Depois de falar com dezenas de idosos, descobriu que os “trasgos” fazem parte da tradição oral de algumas aldeias do interior norte de Portugal e correspondem aos famosos duendes, gnomos e elfos da mitologia dos países nórdicos.

Fonte: CORREIO DA MANHÃ, 22.07.2003, “Portugal também tem duendes”. Disponível em URL: https://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/portugal-tambem-tem-duendes.

Também a jornalista Vanessa Fidalgo é autora do livro Seres Mágicos de Portugal, referindo que os trasgos integram a mitologia nacional e são figuras características do folclore transmontano.

Fonte: CORREIO DA MANHÃ, 13.05.2014, “Criaturas Mágicas: Duendes em Portugal”. Disponível em URL: https://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/criaturas-magicas-duendes-em-portugal

A apresentadora brasileira de programas infantis conhecida como Xuxa confessa que vê duendes e conta a sua experiência com eles.

Fonte: REVISTA QUEM, 26.03.2009, “Xuxa conta sua experiência com duendes”. Disponível em URL: http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI65817-9531,00-XUXA+CONTA+SUA+EXPERIENCIA+COM+ DUENDES.html

O antropólogo e historiador islandês Magnus Skarphedinsson afirma que os duendes vivem entre os humanos e fazem-no há centenas de anos secretamente.

Ele próprio dirige em Reiquiavique, capital da Islândia, uma escola sobre duendes.

Fonte: TSF RÁDIO NOTÍCIAS, 19.05.2016, “Os duendes vivem entre os humanos”. Disponível em URL: https://www.tsf.pt/ sociedade/interior/os-duendes-vivem-entre-os-humanos-5182981.html

Segundo Magnus, eles vivem noutra dimensão e por isso só algumas pessoas os conseguem ver e conversar com eles. Magnus passou anos ouvindo relatos de mais de 400 pessoas que já conversaram com duendes.

Fonte: GLOBO REPÓRTER, 22.07.2016, “O mistério dos duendes: os islandeses juram que eles existem”. Disponível em URL: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/07/o-misterio-dos-duendes-os-islandeses-juram-que-eles-existem.html

Cerca de 8% da população da Islândia, ou seja, cerca de 26.000 pessoas acreditam em duendes.

E 3% da população da Islândia, ou seja, cerca de 9.700 pessoas, afirma que já se encontrou com eles pessoalmente.

 Fonte: MAGNUS MUNDI, 10.12.2016, “Os elfos da Islândia”. Disponível em URL: https://www.magnusmundi.com/os-elfos-da-islandia/

Também Raquel Cachafeiro Gil, doutora em Filosofia e investigadora especializada na relação do ser humano com os vegetais e plantas, acredita na existência dos duendes. Aliás, Raquel é mundialmente conhecida pelas fotografias que tirou a duendes e fadas reais e que poderás consultar na internet na página: https://www.raquelcachafeiro.com/

O Parque Nacional de Gaia foi inspirado no Parque Nacional da Peneda-Gerês.

É o único Parque Nacional em território Português, situa-se no extremo noroeste de Portugal, na zona raiana entre Minho, Trás-os-Montes e Galiza. E o seu perímetro territorial abrange todo o vasto território florestal que se estende desde a Serra da Peneda até à Serra do Gerês, daí a sua designação.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é considerado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera.

É uma das maiores atrações naturais de Portugal, pela rara e impressionante beleza paisagística, pelo valor ecológico e etnográfico e pela variedade de fauna e flora.

Efetivamente, as árvores (pinheiros, teixos, castanheiros, carvalhos e várias plantas medicinais) e os animais que constam do conto podem ser encontrados no referido Parque.

Relativamente ao corço, é verdade que por ser um animal tímido e esquivo, aparecendo e desaparecendo rapidamente entre a vegetação, é apelidado de “o duende da floresta”.

Atualmente, o PNPG tem cerca de 240 espécies de fauna vertebrada identificadas no território e 1100 de flora, além de 500 sítios de interesse histórico e arqueológico.

No Parque podemos encontrar pelo menos 10 cascatas, sendo as mais conhecidas: a Cascata de Leonte, as Cascatas de Fecha de Barjas (por vezes designadas Cascatas do Taiti), a Cascata do Arado, a Cascata da Peneda e a Cascata de Pitões das Júnias.

Fonte: WIKIPÉDIA, “Parque Nacional Pendeda-Gerês”. Disponível em URL: https://pt.wikipedia.org/wiki/ Parque_ Nacional_da_Peneda-Ger%C3%AAs

O local da Cascata de Leonte serviu de base para descrever os mergulhos do menino do conto e do seu amigo.

Também é verdade que nas proximidades da Cascata de Pitões das Júnias existe uma ponte de madeira e também um carvalho centenário, que ao longo dos séculos tem sido alvo de várias lendas locais, como a de um duende aí viver.

Fonte: WIKIPÉDIA, “Cascata de Pitões das Júnias”. Disponível em URL: https://pt.wikipedia.org/wiki/ Cascata _ de_Pit%C3%B5es_das_J%C3%BAnias

Várias são as atividades que se podem fazer no Parque Nacional do Gerês, como, por exemplo: caminhada, bicicleta, canoagem, caiaque, rapel, arvorismo, passeios de barco.

Obesidade? Agitação? Hiperatividade? Dificuldade de aprendizagem?

O pediatra Daniel Becker, do Rio de Janeiro, diz que não é muito fã de remédios para tratar esses males. Ele prefere prescrever um passeio no parque, uma sessão de brincadeiras na terra ou uma tarde na praia.

Segundo Daniel, na pediatria, as evidências científicas que demonstram que o contacto com a natureza é importante para a criança, passam pela melhoria do desempenho da memória, do sono e das imunidades, pela redução das alergias e facilitação da aprendizagem.

Fonte: ÉPOCA, 25.11.2016, “O pediatra que receita natureza para a saúde das crianças”. Disponível em URL: https://epoca.globo.com/ciencia-e-meio-ambiente/blog-do-planeta/noticia/2016/11/o-pediatra-que-receita-natureza-para-saude-das-criancas.html

Médicos escoceses estão a começar a receitar “natureza” aos seus pacientes como estratégia geral de tratamento. Caminhadas,  birdwatching ou passeios na praia são os “medicamentos” prescritos para ajudar a tratar doenças crónicas e debilitantes.

Estas recomendações fazem parte do novo programa de “Prescrições da Natureza”, que será lançado na Escócia.

O objetivo destas recomendações é reduzir o risco de doenças cardíacas e de derrames, além de aumentar a felicidade e melhorar a saúde mental dos doentes.

Fonte: ZAP NOTÍCIAS, 13.10.2018, “Médicos escoceses estão (literalmente) a receitar natureza aos seus pacientes”.Disponível em URL: https://zap.aeiou.pt/medicos-receitar-natureza-221942

O escritor Florence Williams viajou pelo mundo para conhecer os cientistas de topo que investigam a influência da natureza no nosso cérebro e concluiu que o tempo passado ao ar livre não é um luxo, mas sim uma necessidade básica dos seres humanos – e até pequenas “doses” de natureza podem tornar-nos mais criativos e deixar-nos mais bem-dispostos. É autor do livro A Natureza Cura – Como a natureza nos torna mais felizes, mais saudáveis e mais criativos.

Fonte: ESTANTE DE LIVROS, 08.02.2018, “A Natureza Cura de Florence Williams”. Disponível em URL: http://www.estantedelivros.com/2018/02/novidade-bertrand-a-natureza-cura-de-florence-williams.html

Existem, igualmente, vários autores que nos falam da cura pela natureza e nos ensinam quais as plantas usadas para fins medicinais.

Todos os anos são produzidos mais de 400 milhões de toneladas de plástico no mundo e apenas 9% dos resíduos produzidos são reciclados, alertou a ONU com base num estudo apresentado a propósito do Dia Mundial do Ambiente.

Fonte: OBSERVADOR, 05.06.2018, “Mais de 400 milhões de toneladas de plásticos produzidos por ano, só 9% são reciclados”. Disponível em URL: https://observador.pt/2018/06/05/ mais-de-400-milhoes-de-toneladas-de-plasticos-produzidos -por-ano-so-9-sao-reciclados/

A meta europeia da recolha seletiva, ou seja, o que chega aos ecocentros separado, devia andar na ordem dos 30%. No entanto, em Portugal, apenas cerca de 13% dos resíduos chegam aos ecocentros separados.

Fonte: DIÁRIO DE NOTÍCIAS, 04.03.2017, “Vinte anos de reciclagem, mas ainda se separa pouco lixo em casa”. Disponível em URL: https://www.dn.pt/sociedade/interior/vinte-anos-de-reciclagem-mas-ainda-se-separa-pouco-lixo-em-casa-5703936.html

Com o objetivo de ajudar a natureza, vários voluntários, associações (como a Associação Plantar uma Árvore e os Escuteiros/Escoteiros), instituições (como Câmaras Municipais) e empresas (como a EDP) têm-se movido para plantar árvores e limpar praias e florestas.

Muito interessante é a campanha “Uma Árvore pela Floresta” que une os CTT e a QUERCUS numa parceria que permite florestar com espécies autóctones em Áreas Protegidas, Zonas Classificadas, Matas Nacionais do nosso país, em particular nas zonas afetadas pelos recentes incêndios.

Qualquer cidadão pode contribuir bastando, para isso,  comprar um Kit “Vale uma Árvore” que está à venda por €3,50 nas lojas/site dos CTT. Posteriormente, os CTT comunicam à Quercus, que planta a árvore e a cuida durante 5 anos. Caso o comprador queira, pode atribuir o seu nome à árvore ou oferecê-la como presente.

Este projeto, vencedor em 2015 do prémio Green Project Awards na categoria “Iniciativa de Mobilização” e do Prémio Ambiente da PostEurop em 2016, uma organização afiliada das Nações Unidas, já conduziu à plantação de mais de 80 mil árvores.

Fonte: DIÁRIO DE NOTÍCIAS, 23.08.2018, “Já pode plantar e dar o nome à sua própria árvore nos CTT”. Disponível em URL: https://www.dnoticias.pt/pais/ja-pode-plantar-e-dar-o-nome-a-sua-propria-arvore-nos-ctt-HG3585768

No Colégio Piaget, em São Paulo, existe realmente o projeto Guardiões da Natureza. Os alunos caminham pelo Colégio cuidando das plantas, fiscalizando os pátios, orientando os demais alunos e colaboradores e mostrando a consciência que possuem quando se fala em meio ambiente.

Fonte: COLÉGIO PIAGET, 27.08.2008, “Guardiões da natureza”. Disponível em URL: http://www.piaget.g12.br/guardioes-da-natureza/

OMS avisa que Portugal é dos países europeus com mais excesso de peso infantil. Entre as crianças portuguesas, a OMS apresentou valores para os meninos e as meninas com sete anos. O excesso de peso está presente em 40,5% dos rapazes e em 35,5% das raparigas. A obesidade, na mesma faixa etária, é menor, 16,7% e 12,6%, respetivamente.

Segundo Davide Carvalho, que foi presidente da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade (SPEO), este fenómeno acontece devido à redução do número de horas de atividade física nas escolas do ensino básico, às crianças passarem cada vez mais tempo em frente à televisão ou ao computador e à  crise económica que afetou a alimentação.

Fonte: PÚBLICO, 25.02.2014, “OMS avisa que Portugal é dos países europeus com mais excesso de peso infantil”. Disponível em URL: https://www.publico.pt/2014/02/25/sociedade/noticia/excesso-de-peso-infantil-pode-vir-a-tor narse-uma-nova-norma-na-europa-1626164#gs.qwovlcoX

O racismo causa impactos danosos do ponto de vista psicológico e social na vida de toda e qualquer criança ou adolescente.

Uma simples palavra, um gesto ou um olhar menos atencioso pode gerar um sentimento de inferioridade.

Dados do European Social Survey mostram que há uma larga percentagem de portugueses a acreditar em racismo.

Fonte: PÚBLICO, 02.09.2017, “Portugal é dos países da Europa que mais manifestam racismo”. Disponível em URL: https://www.publico.pt/2017/09/02/sociedade/entrevista/portugal-e-dos-paises-da-europa-que -mais-manifesta-racismo-1783934#gs.ZYScMVtV

Segundo a Unicef é importante educar as crianças para o respeito à diferença. Ninguém nasce racista!