A Importância da Revisão Literária

Um dos processos mais importantes no processo de publicação de um livro é a revisão. Sim, tudo o que o autor escreveu vai ter que ser revisto mais do que uma vez. Não, o autor não deve fazer a revisão do seu próprio trabalho.

Para além das questões emocionais e de proximidade, que fundamentam o facto de que um escritor não deve desenvolver tarefas de revisão dos seus próprios trabalhos, a verdade é que esta importante missão deve ser conduzida por um profissional formado e experiente. A revisão nem sempre está relacionada com a edição, ou seja, com a mudança de estrutura da história ou com as suas personagens. Muitas vezes o tema é desvalorizado por alguns autores, mas cá está a Cordel D’ Prata para garantir que este processo acontece! É fundamental para o sucesso da obra. Na editora contamos com um departamento de revisão especializado que revê todos os conteúdos escritos, seja a obra, sinopse ou biografia de cada autor. Claro que o autor é um elemento fundamental neste processo e ele terá sempre a ultima palavra sobre o seu livro.

Para a criação deste artigo desafiámos três dos nossos revisores a responderem a algumas questões, com o objetivo de compreendermos melhor qual o seu trabalho.

Cabe ao revisor ser este elemento que potencia as qualidades da obra, trabalhando com o autor para que, através do diálogo, se chegue a um acordo comum, que beneficia todos: autores, editores e leitores.  

Ricardo Formigo – Revisor Cordel D’ Prata

Ricardo Formigo, qual é o trabalho de Revisão Literária elaborado por este departamento?

R.F: Para muitos, a revisão literária é vista apenas como a correção dos erros ortográficos numa determinada obra. Sem dúvida alguma, essa é uma parte importante. No entanto, o trabalho de revisão não se limita a tornar a obra mais “correta” do ponto de vista ortográfico. Cabe ao revisor a verificação de tudo aquilo que constitui a obra, e também a biografia do autor, a sinopse, a dedicatória e os agradecimentos: em suma, todos os elementos escritos da obra passam pelo revisor, para que altere o que deve ser alterado, com o objetivo de alcançar um resultado final, não só mais correto, mas, também, mais apelativo para o leitor.

O revisor, antes de alterar qualquer elemento do texto, é um importante leitor, que lançará um olhar atento sobre a obra: cabe-lhe localizar os pontos fracos e fortalecê-los e também encontrar os pontos fortes e destacá-los, através de sugestões de remodelação da estrutura das frases, de vocabulário, de utilização de determinados tempos e modos verbais em certas situações narrativas. Todas as arestas pontiagudas e pontas soltas de uma obra são objeto do trabalho do leitor, quer a nível do conteúdo do texto, quer ao nível da forma. 

Então, cabe ao revisor ser este elemento que potencia as qualidades da obra, trabalhando com o autor para que, através do diálogo, se chegue a um acordo comum, que beneficia todos: autores, editores e leitores.  

  A importância da revisão nas obras portuguesas só faz sentido do ponto de vista global, ou seja, se todos virem e aceitarem esta atividade como um requisito no processo de produção de um livro. Para um revisor, o texto ideal é aquele que não tem erros.

Miguel Francisco – Revisor Cordel D’ Prata

Miguel Francisco, quais os cuidados durante o processo de Revisão?

M.F: No campo da edição técnica e editorial, mais na primeira do que na segunda, o trabalho do revisor escapa muitas vezes aos olhos do leitor, e este acaba por passar por um “profissional invisível”, exatamente pela razão de a revisão ainda ser uma atividade pouco (re)conhecida, para uma profissão cujas funções acarretam uma grande responsabilidade e trazem enormes benefícios.

     O papel do revisor de texto na Cordel de Prata é fundamental para garantir a qualidade do texto no processo editorial. O revisor (ou a equipa de revisores) não pode limitar-se apenas a possuir um olho de lince natural, ele deve também procurar oferecer ao leitor a melhor versão possível do texto de uma obra – não só libertando o texto de possíveis gralhas, mas também dando conta de certos erros que possam existir a nível da ortografia e da gramática, mais concretamente, da construção frásica, pontuação, coerência, coesão, uniformização quanto ao acordo ortográfico, formatação, entre outros aspetos relativos ao texto. Ao mesmo tempo, uma vez que a obra que chega ao revisor lhe é alheia, é muito importante que ele tenha sempre presente a vontade do autor e, com efeito, a editora Cordel de Prata faz questão de que a comunicação entre revisor e autor seja possível durante o processo de revisão, de modo a esclarecer imprecisões no texto e a fim de alcançar, finalmente, a melhor versão do mesmo.

     A importância da revisão literária nas obras portuguesas só faz sentido do ponto de vista global, ou seja, se todos virem e aceitarem esta atividade como um requisito no processo de produção de um livro. Para um revisor, o texto ideal é aquele que não tem erros. Assim, o sonho do revisor passará pelo uso correto e inequívoco da nossa língua, de acordo com as normas de escrita existentes, para que a capacidade de imaginação do leitor não seja interrompida por problemas no próprio texto. Posto isto, na Cordel de Prata, garantimos uma leitura sempre atenta da obra em causa, e todos os cuidados na correção especializada de eventuais problemas (ortográficos ou gramaticais) do seu texto.

O objetivo é, no final, publicar uma obra que perdure na memória do leitor por muito tempo, tornando-se assim numa referência.     

Joana Santos

Joana Santos, quais as vantagens e benefícios de uma obra sofrer uma revisão antes da publicação?

Rever uma obra antes da sua publicação é olhar de forma distanciada para o trabalho de um autor. Nesta medida, este é um fator decisivo para que o resultado final, isto é, o livro, chegue ao leitor sem erros ou gralhas assim como consistente ao nível da história que está a ser narrada.

Um autor quando está a escrever a sua obra facilmente se envolve com toda a história. Esta envolvência natural e muito característica dos donos dos livros apresenta um desafio, que é a dificuldade em identificar incoerências no texto. Assim, a revisão da Cordel D’Prata é uma mais-valia para auxiliar os autores no processo de revisão da sua obra antes de esta ser publicada. O trabalho do revisor, para além de corrigir eventuais incoerências que possam existir, é também sugerir abordagens diferentes em determinadas ocasiões. 

O objetivo é, no final, publicar uma obra que perdure na memória do leitor por muito tempo, tornando-se assim numa referência.      

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Entre na sua conta
Cordel d' Prata

Aceda aos seus dados, encomendas e wishlists ❤