Ser escritor é mudar a vida das pessoas pela forma como escrevemos

No passado fim de semana, todos aqueles que se aventuram no Mundo da Escrita foram convocados a serem eles próprios e a subirem ao palco da Literatura, naquela que foi a primeira edição da Gala de Autores, promovida pela Editora Cordel d’ Prata.

Uma tarde que reconheceu e louvou o trabalho dos novos autores portugueses, mas também de quem diariamente desenha as histórias infantis e constrói os nossos livros. Com mais de 40 obras nomeadas, de diferentes géneros da Literatura, coube ao leitor decidir quais os livros que lhe falaram mais alto ao coração e que o fizeram viajar pela intemporalidade e imprevisibilidade dos seus enredos.

Começámos por entregar o Prémio Literário de Temáticas da Sociedade ao livro Conversas ao Coração na Rádio, um projeto que resultou em dois intensos anos de trabalho, em colaboração com a Tejo Rádio Jornal onde a autora Maria Veiga respondeu às mais variadas questões e curiosidades de pais e educadores. “São abordados temas prementes e intemporais com os quais os pais se deparam diariamente e, por esse motivo, se identificam. Fico feliz por ir ao encontro destes pedidos de ajuda, conseguindo com que cada mãe, pai, cuidador ou educador encontre nesta viagem um caminho seguro e feliz na, muitas vezes complexa, tarefa de educar”, afirma Maria Veiga.

Quem se destacou no género de Fantasia e levou consigo o Troféu de Melhor Obra nesta categoria foi Gonçalo F. P Raposo com o terceiro volume da saga literária A Origem de Ethosis. “Receber este troféu foi marcante porque faz-me querer continuar a escrever ainda mais e inspirar aqueles que, como eu, se sentiam sem voz, provando que, quando se luta pelo que se quer, o impossível pode tornar-se possível”, reage o jovem escritor.

Ao palco subiu também Gabriela Mourão, a quem foi entregue o Prémio Literário de Melhor Obra de Poesia pelas suas Letras Soltas: ”Estou de coração cheio…mesmo a transbordar. Este prémio não é mais do que o reconhecimento do esforço que fiz para realizar um dos meus maiores sonhos e um incentivo para continuar”.

E porque o amor faz parte da receita para uma vida feliz e completa, não poderia faltar a categoria de Romance na Gala de Autores 2019. O mais crítico e exigente júri – os leitores – distinguiram o livro O Trilho da Rata Cega pela irreverência na sua escrita e ousadia na sua história. “Vi reafirmado o orgulho em nome de todos aqueles que acreditam no meu trabalho, valor, empenho e na minha tentativa em projetar a obra e o meu nome no mercado editorial. Os sentimentos que ficam desta nova vitória são os de uma autora que gostaria de colocar asas no seu livro e dar-lhe liberdade audaz de poder ser lido por quem aprecia romances históricos”, afirma a autora Paula Araújo.

O livro Esquecido venceu o Prémio Literário de Melhor Obra de Suspense, uma distinção que apanhou de surpresa o próprio autor. “Estarei eternamente agradecido. Não foi só uma confiança de quem leu, mas também daqueles que ainda estão por descobrir a história do problemático Duarte. Sinto-me motivado e radiante, que ainda não parei de tremer ao aperceber-me do percurso que tenho feito e do apoio que tenho tido”, confessa Diogo Simões.

Seguiu-se a mais dramática das categorias. A obra que levou o Prémio Literário de Melhor Drama foi Entre Vidas, da autora Conceição Ruas, a quem as palavras têm o poder de alterar comportamentos e até vidas. “Sentir as palmas, os sorrisos e os abraços é algo muito mágico. Senti-me realizada e amada e percebi ainda mais o sentido desta minha frase que tanto repito: Um sonho é uma imagem que surge na nossa mente, que depois de trabalhado com vontade e muito amor se concretiza”, afirma Conceição Ruas.

2019 foi o ano em que orgulhosamente mais ocupámos os quartos das crianças com cor, brilho e magia através das mais belas e encantadas histórias. Os mais pequenos leitores foram chamados a votar e entregaram o Prémio de Melhor Obra Infantil à história de Julieta, a Borboleta de Jaqueta. “O poder alcançar um prémio é importante na medida em que me ajuda a saborear o carinho dos que me rodeiam de uma forma diferente. Estou muito grata à Cordel d’ Prata por me dar a oportunidade de mostrar o que mais gosto de fazer e a todas as pessoas que tiram do tempo delas para me ler”, reage Ana Guilherme Martins.

E porque não existem histórias de encantar sem incríveis ilustrações, foi igualmente entregue o Troféu de Melhor Ilustração a Joana Pereira pelo seu brilhante e mágico trabalho nas obrasJulieta, a Borboleta de Jaqueta e RITE – O Duende que vive na minha casa. “Eu costumo dizer que desenhar mais do que aquilo que faço é aquilo que sou. E poder partilhar o que sou e ser reconhecida por isso é algo mesmo muito bom”, disse a jovem ilustradora.

Coube também ao público eleger a Melhor Obra de 2019. Naquela que foi a categoria mais participada de sempre, amigos e fãs da literatura portuguesa tiveram a árdua tarefa de escolher a melhor história do ano, prémio esse entregue ao livro A Mania dos 7. “Tremi por dentro e por fora, num misto de alegria, euforia, mas sobretudo de gratidão. No rescaldo deste fim de semana mágico, estou super-híper-mega confiante que muitas crianças vão conhecer a história do pequeno Gustavo e vão adorá-la. Acreditem, o 7 é mesmo mágico!”, reage a autora Ana Paula Pereira.

A Editora Cordel d’ Prata decidiu internamente atribuiu um 10º Prémio – O Troféu de Mensagem, que homenageia a obra que mais influenciou a vida social e ousou, através da sua escrita, desafiar a sociedade a pensar e a refletir. Uma decisão sustentada por números reais de reações e feedback de quem leu a obra premiada. Coube ao escritor português Raul Minh’Alma, convidado especial da Gala de Autores 2019, entregar o Prémio Mensagem à obra Confissões de uma Ex-fumadora. “É um Troféu que reconhece o esforço de todas as Margaridas que assumem as suas fraquezas e decidem tomar as rédeas da sua vida e da sua saúde. Significa dar força a uma luta que dura o resto da vida pois, passem os anos que passarem, haverá sempre a necessidade de silenciar um vício que, quando menos esperamos, se manifesta”, afirma a autora Margarida Nobre.

Ser escritor é mudar a vida das pessoas pela forma como escrevemos. Temos encontro marcado na Gala de Autores 2020 onde, uma vez mais, iremos premiar o talento e a criatividade de quem se atreve a escrever para o mundo.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Entre na sua conta
Cordel d' Prata

Aceda aos seus dados, encomendas e wishlists ❤